ciclovia, ciclofaixa, calçada compartilhada

janeiro 28, 2015 § Deixe um comentário

Importante saber, ainda mais entre nós ciclistas…. As vezes não sabemos… ou achamos que sabemos…

as bicicletas

ciclovia, ciclofaixa e calçada compartilhada parecem mas não são a mesma coisa. inclusive algumas são de uso facultativo, outras de uso obrigatório por parte do ciclista.

ciclovia do rio pinheiros, obra do governo alckmin (PSDB), realizada após intensa pressão de cicloativistas.

vamos primeiro entender o que são cada uma delas, de acordo com o código brasileiro de trânsito:

CICLOVIA – pista própria destinada à circulação de ciclos, separada fisicamente do tráfego comum. (anexo I, dos conceitos e definições, do CTB)

CICLOFAIXA – parte da pista de rolamento destinada à circulação exclusiva de ciclos, delimitada por sinalização específica. (anexo I, dos conceitos e definições, do CTB)

CALÇADA COMPARTILHADA – calçada, passeio, onde, de acordo como artigo 59 do CTB, foi autorizado o trânsito de bicicletas.

pois bem. notou que ciclovia e ciclofaixa são de circulação específica de bicicletas? já a calçada compartilhada não.

o artigo 58 do CTB diz:

Art. 58. Nas…

Ver o post original 321 mais palavras

Anúncios

Convivência e Compartilhamento

janeiro 28, 2015 § 2 Comentários

Estava eu almoçando agora mesmo em um ótimo restaurante vegetariano em Osasco, quando começou um papo na mesa ao lado com criticas à ciclovia da PMSP (Haddad) instalada na Av. Corifeu de Azevedo Marques.
Eu também tenho minhas criticas a esta ciclovia especificamente, mas não resisti em ir conversar com as pessoas da mesa ao lado, quando uma delas disse que não vê ninguém indo ao trabalho de bicicleta.
Acontece que eu e alguns outros ciclistas de Osasco estamos começando um trabalho de conversa e ação junto ao poder público de Osasco. E uma das tarefas que nós ciclistas ficamos incumbidos foi de elaborar uma contagem de ciclistas em horários de pico em grandes vias de nossa cidade.
E justamente hoje, 28/01/2015, eu, Shauan, estive contando ciclistas e anotando informações como sentido, uso de capacete, tipo de bike e se estavam na contramão, na Av. Dos Autonomistas em um ponto do Km18. E qual não foi minha surpresa quando em duas horas de anotações eu registrei 98 ciclistas na via.
Em duas horas (das 6h as 8h a.m.) eu achei um numero bastante grande.
Bem, fui lá até a mesa ao lado contar este número a eles e contar que estamos nos articulando para que em Osasco façamos a convivência entre os modais acontecer com o máximo de cuidado e planejamento possível.
Convivência, planejamento, eis as grandes palavras…

PS. Esta contagem de ciclistas será feita em outros pontos da cidade e quando estiver devidamente organizada será divulgada.
Se quiser se juntar a nós nesta causa, neste novo relacionamento com a cidade, basta me escrever…

PS 2. Comi no restaurante vegetariano Flor de Liz (dados logo abaixo). Comida ótima e deixaram eu colocar a bike dentro do restaurante, pois eu me esqueci de trazer meu cadeado. E ao sair deixei meu agradecimento por escrito no caderno de sugestões, assim como sugeri a instalação de paraciclos em uma calçada ótima que existe na frente do espaço. Me deixei à disposição para indicar modelos e formatos de paraciclos.

Cicloabraço a todos e a todas.

image

image

image

Shauan Intermodal e Convivência

janeiro 22, 2015 § 3 Comentários

Um salve a todos…

Amigos leitores, vocês notarão que este blog passará por uma leve transição, muito positiva por sinal.

Acontece que a cada dia tenho conseguido usar mais e mais a bike como meio de transporte, no dia a dia mesmo, não apenas para os passeios domingueiros tão gostosos, ou para as grandes viagens nos períodos de férias.

Fato é que junto com este movimento pessoal de usar a bike todo dia para minha mobilidade, uma questão importante vem à tona. A questão da falta de estrutura para os ciclistas.

A cidade de São Paulo está caminhando, talvez não da maneira mais ideal, mas ainda assim está caminhando, rumo a uma maior conscientização de que a via é de todos, embora pareça (e simplesmente pareça) que ela é só para os carros, ônibus e afins.

Não sou contra o carro, eu uso muito, mas é preciso se repensar as grandes cidades, como já vem acontecendo fora do Brasil. O colapso já está instalado, não temos para onde correr, temos de mudar. E um dos caminhos é a integração entre diversos modais de locomoção, entre eles a bicicleta.

Vejam esta matéria sobre cidades mudando radicalmente: http://goo.gl/sUHfDe

Então vocês perceberão que este blog conterá algumas mensagens que poderão ser entendidas como “cicloativismo”, mas deixo claro que o ativismo aqui não é para sobrepor um meio de locomoção em detrimento de outro. Não quero que a bike reine absoluta, eu quero convivência saudável, direito de ir e vir etc, etc, etc… (muitos papos ainda virão e poderemos nos encontrar pessoalmente para falar sobre… me convidem..rs)

Bem, hoje eu fiz uma coisa bastante interessante, pela primeira vez uni alguns modais de locomoção em um mesmo trajeto, num mesmo dia. E eu me senti muito bem com isso.. Me senti saindo de uma bolha, me senti colocando meu discurso em prática, me senti satisfeito, feliz mesmo.

Foi uma ação simples, pequenina, mas gratificante para mim e para as coisas que ando lendo, ouvindo e acompanhando dos cicloativistas com mais tempo de pedal que eu.

Hoje tive de sair da minha casa, em Carapicuíba/SP e ir até o bairro da Vila Olímpia em São Paulo. E para tanto eu segui o seguinte roteiro:

Minha Bike = de Carapicuíba até a Estação Osasco da CPTM em Osasco/SP
Trem = da Estação Osasco até a Estação Vila Olímpia da CPTM em São Paulo/SP
Bike do Bradesco (empréstimo) = da Estação Vila Olímpia em São Paulo até o meu destino final no mesmo bairro, alguns quilometros à frente.

Na volta fiz exatamente o mesmo percurso.

Confesso, me senti muito bem fazendo um percurso um pouco mais longo, e que a poucos anos atrás não me ocorreria de maneira nenhuma fazer de outro meio senão apenas de carro, ônibus ou trem. Fiquei feliz. Talvez eu tenha feito o trajeto com um sorriso no rosto, notei pessoas me olhando estranhamente (kkkkkkkk)…

E no começo do percurso, quando cheguei na Estação Osasco da CPTM, qual não foi minha surpresa quando não havia vagas para eu guardar minha bike… Gelei, pois eu não conseguia imaginar como guardar minha bike, e eu tinha horário para pegar o trem, senão não chegaria na hora combinada em meu destino. Uma reunião importante me esperava.

Tive sorte, uma pessoa apareceu para retirar sua bike, liberando uma única vaga que eu utilizei. Embora outros dois ciclistas tenham ainda ficado por lá esperando que mais alguém liberasse espaço no bicicletário da CPTM.

E a pergunta que eu faço é: De onde estão vindo estes 166 ciclistas que lotaram este bicicletário? Quem são estas pessoas, de onde vem e para onde vão? Quantos dias na semana fazem este trajeto, quantas ruas perigosas e cheias de ônibus não os afligem no trajeto? Quantas mães (como a minha) não estão com os corações apertados por saberem que seus filhos estão na via com motores muito mais pesados do que a bike? quantas mulheres, filhos etc etc ???

Bem, é preciso um Plano Cicloviário para todas as cidades brasileiras, sobretudo para os grandes centros urbanos que estão caóticos quanto a mobilidade e tantos outros assuntos.

Mas está começando um movimento interessante de conversas/ações entre nós ciclistas e o poder público, um embrião que está crescendo e portas começam a sinalizar que vão se abrir. Logo menos contarei para vocês sobre este movimento, pacífico, bonito e organizado que estamos começando. E claro, contarei com a ajuda de todos…..

Seguem umas fotinhas do rolê intermodal de hoje.

Ciclobeijos a todos.

Bicicletário da Estação Osasco CPTM completamente LOTADOOOO – Não há vagas…rs

Bikes do Bradesco, pedalei menos de 30 minutos, então não pagarei nada pelo empréstimo. Gostei do serviço.

FELIZ – Rá

 

Aos Motoristas – Priorizando a Vida

janeiro 20, 2015 § 2 Comentários

Texto para meus contatos do Facebook e que são motoristas.

Amigos motoristas, motociclistas e afins, segue um link muito importante para que possamos entender (tanto ciclistas como motoristas) a compartilhar as vias de nossa cidade.

Todos sabem que uso a bicicleta como meio de transporte e não apenas para lazer, então peço a ajuda de vocês para que estejamos todos sintonizados e em harmonia.
A lei está explicadinha neste link, os direitos e deveres de todos os lados para um bom convívio. Mas ela nem seria necessária se tivéssemos bom senso e valorizássemos mais a vida do que a pressa…
Mas bem, a lei está aí também para nos instruir, pois nesta nova fase que estamos vivendo na grande SP, onde os modais de transporte estão começando a interagir mais efetivamente, é normal surgirem dúvidas de como proceder e de quem é a vez ou a prioridade.

Mas que a gente sempre valorize e priorize a vida, sua pressa não vale mais que isso.

E claro, o convite a pedalar é permanente, se vocês precisarem de ajuda para comprar uma bike, para montar um roteiro de passeio ou roteiro para ir ao trabalho, estou totalmente à disposição sempre. Gratuitamente..rs

Experimentem desacelerar, ver o dia a dia com outros olhos, em outro tempo e com vento no rosto… o encantamento é imediato, basta abrir as portas e janelas da alma para outro modo de vida…

E aqui o link com as diretrizes sobre Bike e Carros na via: http://vadebike.org/2004/08/o-que-o-codigo-de/

E aproveito para divulgar o link deste documentário tão interessante e imperdível:
https://www.youtube.com/watch?v=JODEGNxS4CU

CicloBeijos para todos…

Shauan

Pedal no CEMUCAM e Procura-se

janeiro 11, 2015 § Deixe um comentário

Amigos, antes de publicar sobre um pedal muito gostoso que fiz hoje com meu amigo Edson Silva até o Parque CEMUCAM em Cotia/SP, gostaria de chamar a atenção de vocês para dois ciclistas desaparecidos.

Trata-se de dois amigos que nunca mais foram vistos em nossos pedais, são eles Paulinho e Ian.
Pois alguns outros como André, Michelle, Tati ainda são vistos em algumas fotos, em algum movimento, mas estes dois realmente desapareceram.

Estamos preocupados, se alguém tiver notícias deles, favor entrar em contato.

Seguem os cartazes que elaboramos e vamos panfletar pela cidade, oferecemos recompensa. Grato

procura se paulinho

 

procura se ian

Agora sim, vamos ao pedal de hoje, um grande pedal domingueiro para reconhecer o trajeto de Carapicuiba até o Pq. CEMUCAM, para que possamos voltar com a turma. Se mais ninguém desaparecer kkkkk

Seguem as fotos e o link do trajeto no STRAVA

O mais complicadinho é atravessar a Av. Inocêncio Seráfico, em Carapicuiba, depois dela o trajeto torna-se gostoso, com muito verde, sombras. Mas ainda assim é um trajeto um pouco “puxado” pois tem sobe e desce de pequenas ladeiras que poderá cansar os mais iniciantes, mas dentro do CEMUCAM vale a pena, pode-se apenas dar umas pedaladas dentro do parque ou então fazer a trilha de MTB, treinar, pegar um pouco mais de velocidade na trilha.

Nós não fizemos a trilha ainda, pois estávamos com pneus slick, lisos, mas certamente que quero voltar pra fazer a trilha.

Para ver o trajeto completo acesse o STRAVA em: https://www.strava.com/activities/239652376

Fica a dica.

O pedivela não pode parar de girar….

Cicloviagem 2015 – Álbum Completo

janeiro 10, 2015 § Deixe um comentário

Cliquem no link abaixo para ver o álbum completo da Cicloviagem 2015 – Carapicuíba/SP até Holambra/SP

Álbum: http://goo.gl/ZiYT4K http://goo.gl/ZiYT4K

Dia 04 – Cicloviagem 2015 – Final

janeiro 8, 2015 § 2 Comentários

Dia do Tchau.

“O natural é as vezes alguma coisa não dar certo.” (meu amigo Marcus Vinícius)

Estava decido, vou voltar de Holambra até Campinas, onde tem rodoviária grande, e pegar um busão até Franca/SP, com isso evito de tomar tanto sol na cabeça e encarar tanto acostamento cheio de arames de pneu furando os meus.

Na volta pra Campinas, com 8 sóis no céu, o banzo (http://pt.wikipedia.org/wiki/Banzo) voltou. Segui, tomando água desesperadamente e só conseguindo pensar em finalizar a viagem, pensando em meus projetos pra 2015, em minhas novas canções para as aulas, na gravação do meu disco, na coordenação artística da ONG, enfim, percebi que eu não estava mais cicloviajando, estava só pedalando.

Cheguei na rodoviária decidido a comprar a passagem não mais para Franca, mas pra minha casa, e de lá eu poderia embarcar diretamente para Osasco, o que é sensacional, pois Osasco está a poucas pedaladas de casa. Assim foi feito, já estou escrevendo de minha casa.

Se estou arrependido?

Sim.

Acho que me deixei levar por um impulso de dificuldade, deveria ter pego o ônibus pra Franca mesmo.

Se estou chateado?

Não mais.

A viagem foi até Holambra/SP, e é isso. Os papos que tive com meu amigo Marcus em Holambra foram altamente significativos para mim, importantes para tudo o que eu tenho de fazer em 2015 e na vida, acho nem Marcus sabe o quanto foi bom tudo o que ele me falou e que a princípio nem era nada direcionado para mim. Foi tudo pra mim o que você disse Marcus, agradeço demais.

Falamos bastante sobre desaceleração, em contextos amplos, de lidar com as coisas com mais calma, em ritmo diferente, o quanto viver no interior proporciona isso com maior facilidade e etc etc, e também como o natural é que as vezes as coisas não deem certo. Não dá pra ser sempre tudo certo.

Foi muito importante quando Marcus disse de seu contato pessoas que lidam mais diretamente com a terra, sobre elas terem ciência de que se eu planto milho, é natural que em algum momento o milho não nasça tão bom quanto em anos anteriores, ou não dê certo em quantidade e qualidade, e isso é o normal.

Então estou eu aqui, lidando com uma viagem menor, com uma expectativa modificada, com um resultado diferente e nem por isso menos interessante. Acho até que a viagem sempre foi para ser somente até Holambra.

Se tudo isso é apenas uma maneira de justificar a mudança de planos?

Pode ser, mas está bem assim. rsrs

Outra palavra profunda de meus papos com Marcus: Gratidão.

Nosso papo foi muito mais amplo do que poderia eu escrever aqui, mas sinto uma enorme e eterna gratidão por você e sua família Marcus, pela recepção, pelas palavras e carinho.

Sinto enorme gratidão a Ernani Baraldi, que está me esperando lá em Rifaina, onde ele me hospedaria e daria dicas de locais para visitar. Ernani eu ainda vou para Rifaina, daqui a alguns dias, eu te aviso antes, mas realmente neste plano da cicloviagem não deu.

Imensa gratidão a Angel Carril, que também me esperava em São José do Rio Pardo, amigo Angel, eu também assumi o compromisso de pedalar na sua região, será plano para os próximos meses, mas vou sim.. vamos agendar um roteiro, eu pego um ônibus e desço aí pra gente pedalar na redondeza.

Gratidão sem fim para Marcelo e Cleide, que me hospedaram na redondeza de Jaguariúna, quando era início de noite e eu não poderia continuar na rodovia. Turma desprendida, gente que ajuda, que não tem barreiras idiotas que encontramos na grande SP, gente de bem e do bem.

Enorme gratidão a Novino Augusto, que se deixou à disposição para me receber em Mococa/SP caso eu precisasse, assim como Erica e Aguinaldo em Araras/SP. Muita, muita gratidão amigos.

Todos vocês podem contar comigo aqui na grande SP também, precisando de alguma coisa, mesmo que não referente a pedal, podem entrar em contato que estou à disposição.

E claro, gratidão infinita à minha família, meu pais, meus irmãos, minha mãe que sofreu rezando todo dia por mim na estrada… Mãe, eu não vou conseguir deixar de viajar de bike, mas acredite, suas boas energias fazem muito bem, só sofra um pouco menos nas próximas kkkk, te amo.

E enorme gratidão a meus amigos que pedalaram comigo via Whatsapp comigo, meu amor Tatiane, Edson, Paulinho, Ian, André, já disse o quanto vocês me fizeram falta e volto a afirmar.

Agora, fora as questões filosóficas, também é preciso considerar questões práticas neste roteiro.

1 – Escolher viajar em janeiro, época muito quente, não é bom. (ótimas dicas que o Antigão me deu via face – http://pneunaestrada.blogspot.com.br/)

2 – Roteiro que abrange 90% só de acostamento de rodovias, nunca mais.

3 – Roteiro sozinho tem que ser no mato, em estradinhas de terra, pois a monotonia das rodovias te cansa muito mais, talvez se estivesse ao menos em dupla a gente até conseguiria permanecer nas rodovias, sozinho eu não aguento…rs

4 – Amigos fazem muita falta, ao menos pra mim

5 – Roteiro só em rodovia, nunca mais

6 – Roteiro só em rodovia, nunca mais

7 – Roteiro só em rodovia, nunca mais

8 – Roteiro só em rodovia, nunca mais

9 – kkkkkkkk

Pra ajudar, no dia anterior da minha mudança geral de planos, eu vi as fotos de uma turma que pedalou só no mato, no Jalapão, aí é que o banzo se instalou de vez.. kkkkk

Cliquem aqui e vejam as fotos dos caras no Jalapão, é disso que eu estou falando…rs

É isso, agora algumas imagens do último dia e até a próxima galera… muitos pedais virão, inclusive umas rotas aqui em São Paulo, pois o Pedivela não pode parar de girar…

Feliz 2015 pra nós

IMG_20150107_101058125

Tudo pronto pra sair de Holambra sentido Campinas e pegar um busão

IMG_20150107_105052500

Tchau pra esta família linda… Valeu Marcus, Telma, Carol e amigos

Parada pra lanche e sombra...

Parada pra lanche e sombra…

É um andarilho gente... com um cabo de vassoura onde estavam penduradas suas coisas... pelo visual da figura ele anda muuiittoo

É um andarilho gente… com um cabo de vassoura onde estavam penduradas suas coisas… pelo visual da figura ele anda muuiittoo

Pedras no caminho

Pedras no caminho

Na rodoviária de Campinas.. não tive problema algum, inclusive ao final da viagem o motorista me pediu desculpas por alguma coisa... eu sorri... #bikebemvinda

Na rodoviária de Campinas.. não tive problema algum, inclusive ao final da viagem o motorista me pediu desculpas por alguma coisa… eu sorri… #bikebemvinda

IMG_20150107_184428278

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para janeiro, 2015 em Shauan de Bicicleta.